.

.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

"A Apresentação de Maria Santíssima no Templo 
aos Três Anos de Idade"
21 de Novembro



Capítulo 22 Livro Mística Cidade de Deus
Primeiro Tomo (Maria de Ágreda)


SANT'ANA, EM SEU PARTO, CUMPRIU A LEI DE MOISÉS.
COMO A MENINA MARIA  PROCEDIA EM SUA INFÂNCIA.

O preceito da purificação

345.Era preceito da lei, no capítulo 12 do Levítico(v.5-6), que a mulher dando à luz uma filha seria considerada impura duas semanas,e devia permanecer na purificação do parto sessenta e seis dias, o dobro dos dias para o filho do sexo masculino. Terminando o prazo pela filha ou pelo filho, deveria oferecer à porta do tabernáculo um cordeiro de um ano em holocausto, e uma pomba ou rola pelo pecado. Entregava-os ao Sacerdote para oferecê-los ao Senhor. e aquele rezaria por ela, ficando assim purificada.
O parto da felicíssima Ana foi tão puro e limpo qual convinha à sua divina Filha, pois desta procedia a pureza da mãe.
Ainda que não tinha necessidade de purificação. contudo, saldou a dívida da lei, cumprindo-a pontualmente. Aos olhos humanos passou por impura, quem estava isenta do que a lei mandava purificar.

Simeão

346.Passados os sessenta dias da purificação, dirigiu-se Sant'Ana ao templo, levando a mente inflamada no divino amor, e nos braços sua bendita Filha. Com a oferenda, acompanhada de inumeráveis anjos, chegou à porta do tabernáculo e falou com o sumo sacerdote, que então era o santo Simeão.
Por permanecer longamente no templo, mereceu ele o favor de, em sua presença e por suas mãos, oferecer a menina Maria todas as vezes que foi apresentada no templo e oferecida ao Senhor.
Ainda que nestas ocasiões o santo sacerdote não conheceu a dignidade desta divina Senhora, como adiante diremos, todavia sempre sentiu fortes pressentimentos de que aquela Menina era grande aos olhos de Deus.

Apresentação da Menina Maria

347.Ofereceu-lhe Sant'Ana o cordeiro, a rola e o mais que levava, e com humildes lágrimas, pediu-lhe que orasse por ela e por sua Menina, para serem perdoadas pelo Senhor, caso tivessem culpa. Nada houve que ser perdoado em filha e mãe, nas quais a graça era tão copiosa, mas sim o que ser premiado: a humildade de se apresentarem como pecadoras, sendo santíssimas.
O santo sacerdote recebeu a oblação, e seu espírito se encheu de extraordinário júbilo. Sem compreender a causa, nem se manifestar, disse consigo: - Que será esta novidade? Porventura serão estas mulheres parentes do Messias que há de vir? Nesta admiração e alegria mostrou-lhes grande benevolência. Sant'Ana entrou com sua Filha Santíssima nos braços e a ofereceu ao Senhor com devotíssimas e ternas lágrimas, como a única pessoa no mundo conhecedora do tesouro que lhe fora confiado em depósito.

Sant'Ana renova seu voto 

348. Renovou o voto, que antes fizera, de oferecer no templo sua primogênita quando chegasse à idade conveniente. Nesta renovação foi ilustrada com nova graça e luz do Altíssimo. Sentiu em seu coração uma voz que lhe dizia que se cumprisse o voto de oferecer sua Filha no templo, dentro de três anos. Esta inspiração foi o eco da voz da santíssima Rainha, cuja súplica tocou o coração de Deus e ressoou no de sua Mãe.
Ao entrarem ambas no templo e vendo a doce Menina com seus olhos corporais, aquela majestade e grandeza dedicadas ao culto e adoração da Divindade, sentiu admiráveis efeitos em seu espírito, e quisera prostrar-se para beijar a terra e adorar o Senhor. O que não pôde fazer com ações exteriores, supriu com o afeto interior. Adorou e bendisse a Deus com o amor mais sublime e a reverência mais profunda que, nem antes nem depois, outra pura criatura o pôde fazer. Falando em seu coração com o Senhor, fez esta oração:

Oração da Menina Maria

349. Altíssimo e incompreensível Deus, Rei e Senhor meu, digno de toda glória, louvor e reverência; eu, humilde pó, mas obra vossa, adoro-vos neste vosso santo templo, exalto-vos e vos glorifico pelo vosso ser e perfeições infinitas. Quanto me é possível, agradeço à vossa dignação, por me concederdes ver com meus olhos este santo templo e casa de oração, onde vossos profetas, meus antigos pais vos louvaram e bendisseram, e onde vossa liberal misericórdia operou com eles grandes maravilhas e mistérios. Aceita-me, Senhor, para que possa servir-vos nele quando for vossa santa vontade.

Sant'Ana volta ao templo

350. Fez este humilde oferecimento ao modo de escrava do Senhor. aquela que era Rainha de todo o universo. Em testemunho da aceitação divina, veio do céu uma claríssima luz que sensivelmente envolveu a Menina e sua Mãe, enchendo-as de resplendores e graças.
Tornou a compreender Sant'Ana que, ao terceiro ano, devia apresentar sua Filha no templo, porque a complacência que o Altíssimo receberia daquela oferenda, e o afeto com que a Menina a desejava, não permitiam mais longa demora.
Seus santos anjos da guarda e outros que assistiram a este ato, cantaram suavíssimos louvores ao Autor dessas maravilhas. Somente filha e mãe santíssimas tiveram conhecimento desses prodígios, sentindo interior e exteriormente o que respectivamente era espiritual ou sensível. Só o santo Simeão percebeu um pouco da luz sensível. Depois de tudo, voltou Sant'Ana para casa, enriquecida com seu tesouro e novos dons do Deus Altíssimo.

Assim, prossegue: O demônio se engana... 

Tratamento dado à Menina Maria...

Comunicações da Menina Maria com Deus...

Pergunta da escritora...

RESPOSTA E DOUTRINA DA RAINHA DO CÉU.

Paciência e sobriedade...

Mortificação por amor de Cristo crucificando...

Ingratidão e presunção das criaturas...

O pecado priva o homem de todos os direitos...

Humildade e alegria nas privações...

Observância na vida religiosa...

CAPÍTULO 23

INSÍGNIAS QUE OS SANTOS ANJOS DA GUARDA DE
MARIA SANTÍSSIMA TRAZIAM QUANDO LHE 
APARECIAM; SUAS PERFEIÇÕES.

Os mil anjos custódios de Maria... Diferença entre os anjos... 

Forma visível dos anjos... Beleza dos anjos...

Maria, Mãe de Deus... Sentimento de Maria...  

Os setenta serafins... As seis asas dos serafins...

Os serafins refletiam a divindade... Comunicação angélica...

Os doze anjos das doze portas... Ofícios dos doze anjos...

os anjos da Paixão... Perfeições angélicas...

DOUTRINA QUE ME DEU A RAINHA DO CÉU.

Gratidão a Deus por nos ter dado anjos custódios...

Respeito à presença do Anjo...  

Docilidade às inspirações do anjo...

CAPÍTULO 24

AS SANTAS OCUPAÇÕES E EXERCÍCIOS DA RAINHA DO
 CÉU DURANTE O PRIMEIRO ANO E MEIO DE SUA
INFÂNCIA.

O silêncio de Maria foi voluntário... Amor e reverência filial de Maria...

Vida mística da Menina Maria... A dor do amor a Deus...

Perfeições divinas...Comunicações com Deus...  



Humildade da Menina Maria...

DOUTRINA DA RAINHA DO CÉU.

Quem muito recebe muito deve...

Valor do silêncio e mal da loquacidade...

O silêncio evita pecados...

O silêncio cria a atmosfera de oração...

CAPÍTULO 25

COM UM ANO E MEIO DE IDADE A MENINA MARIA
SANTÍSSIMA COMEÇOU A FALAR; SUAS OCUPAÇÕES
ATÉ IR AO TEMPLO.

Maria começa a falar...  Colóquio com Deus... Resposta de Deus...

Maria pede a redenção... Deus manda Maria falar...

Maria pede a proteção de Deus para usar da palavra...

Poder da palavra de Maria... Complacência da SSma. Trindade...

A primeira palavra de Maria... Conversas entre Sant'Ana e a Menina Maria...

Sant'Ana não revelava seu segredo... Humildade de Maria...

O traje de Maria... Obediência da Menina... Penitência de Maria..

Caridade de Maria... Maria manifesta o desejo de ir para o Templo...

Sentimento de Sant'Ana... Deus avisa Maria de sua ida ao Templo...

Visão de Sant'Ana e sua oração... Visão de São Joaquim...

DOUTRINA DA RAINHA DO CÉU.

Morte e eternidade...Combate, renúncia, libertação...

Covardia, perigo de perdição...

SEGUNDO LIVRO
CONTÉM: A apresentação da Princesa do céu no templo, os
favores que a destra divina lhe concedeu, a altíssima perfeição
com que observou as cerimônias do templo, o grau de suas
heroicas virtudes, seu santo desposório e o restante até a 
encarnação do Filho de Deus exclusive.

CAPÍTULO 1
A APRESENTAÇÃO DE MARIA SANTÍSSIMA NO TEMPLO
AOS TRÊS ANOS DE IDADE

A'arca da aliança, figura de Maria Santíssima...etc...
São Joaquim e Sant'Ana levam Maria ao templo

421. Findo o prazo dos três anos determinado pelo Senhor, saíram de Nazaré, Joaquim e Ana,acompanhados de alguns parentes, levando consigo a verdadeira Arca da Aliança, Maria Santíssima, nos braços de sua mãe, para depositá-la no santo templo de Jerusalém.
Apressava-se a formosa Menina com fervorosos afetos, seguindo os perfumes de seu amado(Ct 1,3), para ir procurar no templo aquele mesmo que levava no coração. Esta humilde procissão seguia sem acompanhamento de criaturas terrenas nem acompanhamento de criaturas terrenas nem visível aparato, mas com brilhante e numeroso séquito de espíritos angélicos. Para celebrar esta festa haviam descido do céu, além dos que ordinariamente guardavam sua Rainha menina. Cantavam com música celestial novos cânticos de glória e louvor do Altíssimo, ouvindo-os a Princesa do céu, que caminhava com formosos passos à vista do supremo e verdadeiro Salomão.
Assim prosseguiram sua viagem de Nazaré até a cidade santa de Jerusalém, sentindo os ditosos pais da menina Maria grande júbilo e consolação espiritual.

Chegada ao templo... Maria despede-se de seus pais...

São Joaquim e Sant'Ana voltam a Nazaré. A escada de Jacó...

Maria confia-se à Mestra e cumprimenta as companheiras...

DOUTRINA DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA

Graça da vocação à vida religiosa...

Aversão do demônio pela vida religiosa...

"Ser fiel sem olhar para trás"
428.Para o Altíssimo reformar e aperfeiçoar quem entra no estado religioso, qualquer que seja o motivo que o trouxe, convém que, tendo voltado as costas ao mundo, não torne a olha-lo, apague suas imagens da memória e esqueça o que com tanta dignidade deixou.
Os que não seguem este ensinamento e são ingratos e desleais a Deus, sem dúvida são atingidos pelo castigo da mulher de Ló (Gn 19,26). Embora pela divina piedade, não seja visível ao olhar exterior, interiormente é muito real, tornando a alma seca, gelada, sem fervor nem virtude.
Sem o amparo da graça, não realizam o ideal de sua vocação, nem aproveitam o benefício da vida religiosa.
Nela não encontra consolo espiritual, nem merecem que o Senhor os olhe e visite como a filhos; mas são repudiados como escravos infiéis e fugitivos.
Lembra, Maria, que para ti o mundo há de estar morto e crucificado e tu para ele, sem guardares afeto e recordação de qualquer coisa terrena. Se,às vezes,for necessário exercitar a caridade com o próximo, ordena-a tão bem que, em primeiro lugar, ponhas o bem de tua alma, sua segurança, quietude, paz e tranqüilidade interior.
Evitando os excessos viciosos, deves ser muito atenta a estas advertências, se quiseres permanecer em minha escola.

Oração

Ó Deus, Pai de Misericórdia, que te revelas aos puros de coração: ao venerar hoje a memória de Maria, consagrada desde sempre a ti no corpo e na alma, suplicamos-te que nos leves a alcançar a mesma disposição de Maria em aceitar tua santa vontade. Amém!
  
Quem desejar saber mais sobre a vida de Nossa Amada Mãe do Céu, visite:


Salve Maria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário