.

.

sábado, 12 de abril de 2014

Obrigado Pai,


Magnificado seja Teu Nome, ó Senhor meu Deus, porque inclinaste meus ouvidos à Tua voz, me chamaste a Ti Próprio e abriste meus olhos para contemplar Tua beleza, e por haveres iluminado meu coração com Teu conhecimento e o santificado das dúvidas dos infiéis em Teus dias. Sou aquele, ó meu Deus, que estava profundamente adormecido em seu leito, quanto eis, Tu fizeste descerem sobre mim os mensageiros de Tuas múltiplas graças; e os suaves ventos da Tua benevolência sobre mim sopraram, despertando-me e fazendo-me volver a face para o santuário do Teu conhecimento e fixar a vista nos esplendores da luz do Teu Semblante.
Sou apenas uma pobre criatura, ó meu Senhor! Eis-me segurando a fimbria da Tua riqueza. Fugi das trevas e da rebeldia para o esplendor da luz da Tua Face. Fosse eu – e a isto Tua glória me dá testemunho – expressar-Te minha gratidão enquanto durasse Teu Reino e permanecesse o céu da Tua onipotência, eu ainda não teria podido retribuir Tuas múltiplas dádivas.
Imploro-Te, ó meu Senhor, por Teu Nome, o Eterno – Teu Nome que ordenaste fosse o maior instrumento para ligar a Ti Teus servos – possa eu buscar refúgio em Tua porta e difundir Teu louvor. Destina-me, pois, em cada mundo Teu, aquilo que me facilite entrar em Tua sombra e dentro do recinto da Tua Corte.
Tu és, em verdade, o Onipotente, o Mais Bondoso, o Excelso, O que sempre perdoa, o Mais Generoso.


Glória a Ti, ó Deus! És o Deus que existiu antes de todas as coisas, que existirá após todas as coisas e que perdurará além de todas as coisas. Tu és o Deus que conhece todas as coisas e sobre todas as coisas é supremo. És o Deus que com misericórdia trata todas as coisas, que julga entre todas as coisas, e Cuja visão a tudo abrange. Tu és Deus, meu Senhor; Tu estás ciente de minha posição, Tu testemunhas meu ser interior, bem como o exterior.
Concede Teu perdão a mim e aos crentes que responderam a Teu Chamado. Sê Tu meu amparo suficiente contra a maldade de qualquer um que queria a mim infligir tristeza ou que a mim deseje – mal. Em verdade és o Senhor de todas as coisas criadas. És para todos suficiente, enquanto ninguém pode, sem Ti, ser suficiente a si próprio.

Orações.


Nenhum comentário:

Postar um comentário