.

.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011


Oração

Ó Deus, que concedestes a Santa Helena, mãe de Constantino,
Imperador de Roma, a graça da piedade cristã e das resolutas atividades
em pról da Verdade Histórica da fé, dai-me, a mim também, ser sempre
ativo e trabalhador pela causa do Evangelho.
Santa Helena, rogai por nós!

FILME: VIDA DE SANTA HELENA (1ª PEREGRINA DO MUNDO) HISTÓRIA DA VIDA DE SANTA HELENA E CONSTANTINO


JACAREÍ, 14 DE JUNHO DE 2009
CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ/SP-BRASIL
MENSAGEM DE SANTA HELENA
COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA

MENSAGEM DE SANTA HELENA - NAS APARIÇÕES DE JACAREÍ/SP-BRASIL

"-Marcos, Eu Sou HELENA, SANTA HELENA. E hoje vim com a Santíssima Virgem para te abençoar, para abençoar estes Meus irmãos na fé e na graça de Deus e para derramar sobre vós todos, os maiores e mais imensos favores do Altíssimo.
Vós sabeis que Eu fui aquela que procurou a Sagrada Cruz de Cristo em Jerusalém, que a recuperou e que recuperou tantos dos lugares onde Nosso Senhor e a Virgem Santíssima viveram e assim ofereci a toda cristandade as relíquias da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Quero gravar em vossos corações e em vossas almas a Cruz do Senhor, esta Cruz que Eu tanto amei e que não descansei enquanto não a encontrei. Quero gravar essa Cruz do Senhor em vossos corações e em vossas almas, para que o amor da Cruz esteja em vós e para que vós possais resistir às sedutoras tentações e sugestões do inimigo do Senhor, que nesses tempos procura a todo momento chamar-vos e convidar-vos para segui-lo pelo caminho largo e espaçoso, mais fácil e mais cômodo, mas que não conduz a Deus e sim aos abismos dos tormentos eternos.
O caminho ao qual vos chamo, é o caminho da Cruz. É o caminho do sofrimento, sim, nesta vida, suportado com paciência, esperança e confiança. É o caminho estreito, que poucos escolhem para seguir, mas que é o único caminho que conduz ao Céu, que conduz ao Senhor, que conduz a salvação. O inimigo do Senhor procura a todo momento oferecer-vos as glórias e as vaidades deste mundo, disfarçadas de um bem aparente, mas atrás dessas aparências de bem ele esconde o seu veneno fatal, com o qual deseja envenenar as vossas almas e fazê-las perecer com o restante do mundo que ele traz após si, todo envenenado, morto espiritualmente e estragado.
Quero com o Meu manto, quero com o Meu amor guardar-vos desta terrível tentação e guiar-vos cada dia mais pelo caminho do verdadeiro amor de Deus que se expressa na cruz, na dor, no sofrimento, na confiança, na esperança e na consagração total de si ao amor do Senhor. O Senhor não deseja nada mais de vós do que o vosso amor.
Vede como o Seu Sagrado Coração está abrasado de amor por vós! Como Ele esperou por vós até o dia de hoje aqui! Como Ele teve paciência de esperar a vossa resposta, o vosso sim ao Amor Dele e o quanto o Seu Sagrado Coração teve de sofrer por causa do vosso egoísmo, da vossa dureza de coração e da vossa lentidão em corresponder ao Amor Dele.
Vede como o Coração da Virgem Santíssima sofreu e foi recoberto por chagas profundas, causadas pela vossa dureza de coração, pela vossa maldade, e pela vossa recusa em corresponder ao amor Dela e obedecer à vontade Dela. Quantas vezes ouvistes as Mensagens mais frios e endurecidos que os rochedos e mais secos e áridos que os desertos, e no entanto, este amor celestial por vós esperou, por vós continuou lutando, por vós continuou procurando a cada dia da vossa vida.
Não tardeis mais! Entregai-vos a este amor com obras, com a consagração total da vossa vida, com a renúncia a vossa vontade e com o perfeito cumprimento do Divino querer!
Vede que ninguém deve opor a este amor nem mesmo as suas fraquezas e misérias, pois foram elas mesmas que fizeram com que estes Sagrados Corações continuassem buscando as vossas almas tão apaixonadamente.
Foram estas mesmas fraquezas, que fizeram com que esses Sacratíssimos Corações Unidos de JESUS, MARIA e JOSÉ continuassem percorrendo a Terra e procurando minuto a minuto os vossos corações, com um amor tão apaixonado e foram essas mesmas misérias que fizeram os Seus Corações baterem abrasados de amor incendido e repleto de misericórdia, de desejo de salvar-vos, de ajudar-vos e de libertar-vos de tanta indigência e miséria espiritual. Foi o vosso nada que atraiu esses Corações a vós, não foram vossas virtudes. Oh, não! Foi a vossa miséria, foi a vossa baixeza que atraiu o olhar desses soberanos Reis do Céu e os fizeram esperar de pé à porta dos vossos corações, durante tantos anos, esperando que eles se abrissem.
Abri a porta para Eles, recebei-Os, chamai-Os para entrar! Dai-Lhes não um lugar de hóspede na vossa vida, ó não! Não Lhes deis um quarto de hóspedes, dai-Lhes o quarto principal, o aposento principal das vossas vidas, para que assim Eles se tornem como as pessoas de vossa família; pessoas que verdadeiramente vivem convosco e com as quais sois verdadeiramente unidas! Dai a Eles o vosso coração. Dai a Eles o vosso ‘sim’, não este sim mesquinho e egoísta que dá as sobras do tempo, da juventude, das forças, do amor, a Eles, ó não! Dai-Lhes toda a vossa vida, todo o vosso amor, todo o vosso afeto e todo o vosso coração, e então vós vivereis uma verdadeira vida em Deus, uma verdadeira vida nos Sagrados Corações Unidos e conhecereis a felicidade de amá-Los e de por Eles serdes amados com um amor de predileção especial.
A medida do vosso amor por Eles será a medida com a qual, Eles vos comunicarão o Seu amor, a Sua graça e a Sua própria vida, a seiva celestial, para que as vossas almas possam então alimentar-se da seiva do tronco e produzir os frutos de santidade que o Senhor espera de vós.
Tendes de ter uma fé madura. Tendes de ter uma fé viril. Tendes de ter uma fé decidida, uma fé pronta e enérgica. Esta virtude que Eu possuí em grau heróico, quero comunicar a vós cada dia na oração se vós Me pedirdes, se recorrerdes a Mim. Assim como Eu não poupei esforços para recuperar a Cruz do Senhor e as Santas Relíquias da Sua Paixão, assim como Eu não poupei esforços para tornar a Fé Católica a Fé oficial do Império do Meu filho Constantino, e enquanto Eu não vi esta Fé triunfar, não descansei, vós também não podeis descansar antes de ver a Santa Fé Católica de Nosso Senhor Jesus Cristo triunfando na Terra e de ver neste mundo instaurado o Reino de Seu Sacratíssimo Coração com o Reino do Coração Imaculado de Maria e de São José.
Sede valentes combatentes da Fé! Sede valentes operários da Fé! Sede valentes agentes da Fé, da Paz, do Amor e da Salvação! Não durmais agora enquanto o Sol está brilhando. Trabalhai, trabalhai sem descanso! Trabalhai sem cessar! Rezai constantemente sem interromper nunca a vossa união sobrenatural e espiritual com Deus, mantendo os vossos corações unidos a Deus, pela união mística das vossas almas e pela oração que brota da própria vida, que brota das profundezas do espírito bem mergulhado, bem fundado em Deus. Em breve virá a noite e já não se poderá mais trabalhar. Acabará o tempo dado pelo Senhor para que os homens O conheçam, O amem, trabalhem para a Sua Glória e pela própria Salvação e trabalhem pela salvação do mundo.
Então O patrão, O Senhor, chamará cada servo Seu e dará o pagamento, a cada um de acordo com as suas obras, de acordo com o que tiver feito e com o que tiver merecido, e ai daqueles que tiverem ficado sentados enquanto os outros trabalhavam. Ai daqueles que tiverem ficado ociosos e vagabundos, enquanto outros trabalhavam a ‘terra’(as almas) deste mundo e da sua própria alma plantando a semente, regando-a, adubando-a com orações, sacrifícios e boas obras, fazendo-as crescer, defendendo essas plantas, a planta da alma e da santificação pessoal das ervas daninhas e das pragas que o inimigo semeia no meio do campo do Senhor, e produzindo assim os mais belos e saborosos frutos para agradarem o paladar exigente e muito aguçado do patrão, do Senhor Deus! Ai daqueles que tiverem ficado ociosos!
A esses Ele mandará aos Seus feitores, que os amarrem de pés e mãos e os joguem nas chamas eternas, junto com toda palha e erva daninha que tiver crescido no seu campo, e ali haverá choro e ranger de dentes por todos os séculos!
Se vós, Meus irmãos, não quereis ter esse triste destino, sede as abelhas laboriosas, sede as lebres rápidas que não cessam de correr por todos os lados, sede os valentes e ardorosos trabalhadores da vinha do Senhor que vão, que trabalham e que não descansam enquanto não produzem os frutos mais belos do campo do Senhor, para entregar a Ele quando Ele voltar.
Vós sereis argüidos de acordo com os talentos que do Senhor recebestes; quem recebeu mais terá de restituir mais, quem recebeu menos terá de restituir menos, mas terá de restituir, pois este Senhor pedirá contas até dos campos em que não semeou e até das vinhas que não plantou.
Quanto mais vós, não escapareis de prestar contas a este Senhor que tanto vos deu e que tanto vos favoreceu neste sacratíssimo Lugar eleito destas Aparições, que é mais caro e mais querido a Deus e à Sua Mãe do que todo o resto do mundo.
Eu, Helena, vos estendo Minha mão! Vos lanço as Minhas cordas, as minhas âncoras, para que vós possais agarrar-vos nelas, e assim, bem unidos, bem atados a Mim, possais seguir pelo o caminho da santidade, que é difícil para quem não tem os Santos ao seu lado, mas que é acessível, fácil e certo para aqueles que nos tem ao seu lado, para aqueles que copiam nossos exemplos e virtudes, para aqueles que se entregam à nossa proteção e direção e para aqueles que vivem muito bem unidos a Nós por meio da verdadeira devoção a Nós, a Santíssima Virgem, a São José e ao Senhor!
Eu, Helena, rezo convosco o Santo Rosário todos os dias. Sou Eu mesma que recolho cada Ave Maria que sai da vossa boca, cada globo luminoso de Ave Marias que saem da vossa boca, e levo estes globos até a presença do Senhor e da Mãe Santíssima, para apresentar-los mais luminosos, mais refulgentes, mais brilhantes, pelo contato com a Minha própria santidade e méritos pessoais, para alcançar de vós graças mais efusivas, mais abundantes de amor, de salvação, de santificação e auxílio divino para vossas almas.
Rezai a Mim e Eu vos protegerei. Protegerei especialmente as obras concretas que fizerdes pelo Senhor, pois Sou a padroeira de todos aqueles que constroem para o Senhor, que edificam coisas concretas para Deus e Sua Mãe nesta Terra, de todos aqueles que verdadeiramente esforçam-se por construir o Reino do Senhor nesta Terra, tal como Ele é no Céu, como Ele existe e está no Céu.
Eu vos ajudarei, abençoarei as vossas mãos para que o vosso trabalho, para que o fruto delas seja mais perfeito, seja mais eficaz e mais duradouro. Como Patrona de todos os operários e trabalhadores de Deus, Eu farei com que as vossas obras, sejam obras de vida, obras de amor que permaneçam para sempre enquanto Deus for Deus.
Eu, a todos neste momento, vos abençôo abundantemente.”

18 de agosto

Santa Helena
Flávia Júlia Helena, esse era o seu nome completo. Nasceu em meados do século III, na Bitínia, Ásia Menor. Era descendente de uma família plebéia e tornou-se uma bela jovem, inteligente e bondosa. Trabalhava numa importante hospedaria na sua cidade natal quando conheceu o tribuno Constâncio Cloro. Apaixonados, casaram-se. Mas quando o imperador Maximiano nomeou-o co-regente, portanto seu sucessor, exigiu que ele abandonasse Helena e se casasse com sua enteada Teodora. Isso era possível porque a lei romana não reconhecia o casamento entre nobres e plebeus.

O ambicioso Constâncio obedeceu. Entretanto levou consigo para Roma o filho Constantino, que nascera em 274 da união com Helena, que ficou separada do filho por quatorze anos. Com a morte do pai em 306, Constantino mandou buscar a mãe para junto de si na Corte. Ela já se havia convertido e tornado uma cristã fervorosa e piedosa.

O jovem Constantino, auxiliado pela sabedoria de Helena, conseguiu assumir o trono como o legítimo sucessor do pai. Primeiro, tornou-se governador; depois, o supremo e incontestável imperador de Roma, recebendo o nome de Constantino, o Grande. Para tanto, teve de vencer seu pior adversário, Maxêncio, na histórica batalha travada, em 312, às portas de Roma.

Conta a história que, durante a batalha contra Maxêncio, seu exército estava em desvantagem. Influenciado por Helena, que tentava convertê-lo, Constantino teve uma visão. Apareceu-lhe uma cruz luminosa no céu com os seguintes dizeres: "Com este sinal vencerás". Imediatamente, mandou pintar a cruz em todas as bandeiras e, milagrosamente, venceu a batalha. Nesse mesmo dia, o imperador mandou cessar, imediatamente, toda e qualquer perseguição contra os cristãos e editou o famoso decreto de Milão, em 313, pelo qual concedeu liberdade de culto aos cristãos e deu a Helena o honroso título de "Augusta".

Helena passou a dedicar-se à expansão da evangelização e crescimento do cristianismo em todos os domínios romanos. Às custas do Império, patrocinou a construção de igrejas católicas nos lugares dos templos pagãos, de mosteiros de monges e monjas e ajudou a organizar as obras de assistência aos pobres e doentes. Depois, apesar de idosa e cansada, foi em peregrinação para a Palestina, visitar os lugares da Paixão de Cristo. Lá supervisionou a construção das importantes basílicas erguidas nos lugares santos, dentre elas a da Natividade e a do Santo Sepulcro, que existem até hoje. Conta a tradição que Helena ajudou, em Jerusalém, o bispo Macário a identificar a verdadeira cruz de Jesus, quando as três foram encontradas. Para isso, levaram ao local uma mulher agonizante, que se curou milagrosamente ao tocar aquela que era a verdadeira.

Pressentindo que o fim estava próximo, voltou para junto de seu filho, Constantino, morrendo em seus braços, aos oitenta anos de idade, num ano incerto entre 328 e 330. O culto a santa Helena, celebrado no dia 18 de agosto, é um dos mais antigos da Igreja Católica. Algumas de suas relíquias são veneradas na basílica dedicada a ela em Roma.
SITES:

CANAIS:



Nenhum comentário:

Postar um comentário