.

.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011


AS APARIÇÕES DE JACAREÍ, NOS CONVIDOU A TERMOS UMA 
DEVOÇÃO AS 15 ORAÇÕES DE SANTA BRÍGIDA.


"REALMENTE AO PASSAR UM TEMPO QUEM TEM ESSA DEVOÇÃO É AGRACIADO ESPIRITUALMENTE".


DEVOÇÃO À AGONIA 
DE CRISTO

Oração a Jesus em agonia
no Horto das Oliveiras
"Ó Jesus, que no Vosso imenso amor e para vencer a dureza de nossos corações, derramais uma torrente de graças sobre aqueles que meditam  a Vossa santa paixão em Getsêmani  e promovem a devoção para com ela, eu Vos suplico, ajudai a minha alma e ao meu coração, muitas vezes, ao menos uma vez por dia, lembrar-se da Vossa duríssima agonia no Horto das Oliveiras para compadecer-me de Vós e unimer con Vosco tanto quanto possível.
Ó bendito Jesus, que naquela noite assumistes o peso enorme dos nossos pecados e os reparastes perfeitamente, concedei-me o presente imenso de uma contrição perfeita sobre meus inúmeros pecados, pelos quais derramastes o suor de sangue. Ó bendito Jesus, por Vossa luta violentíssima no Horto Getsêmani concedei-me misericordiamente vitória definitiva sobre as tentações, pricipalmente sobre aquelas que mais me perturbam.
Ó Jesus padecente, por Vossas agonias indiziveis e insondaveis para nós naquela noite da traição e Vossas amargas angustias, iluminaime a fim de conheçer e cumprir a Vossa vontade e fazei que sempre de novo pense na Vossa luta tremenda e medite como saistes vitoriosamente dela para cumprir a vontade do Pai e não a Vossa.
Sejais Bendito, ó Jesus, pelo suor de sangue e pela agonia terrivel que sofrestes com tanto amor num abandono extremo e numa solidão incompreensivel!
 Sejais Bendito, ó Jesus, por todos os gemidos desta santa noite e pelas lágrimas que tendes derramado.
Sejais Bendito, dulcíssimo Jesus, repleto de imensa amargura, por Vossa oração, surgindo profundamente humana e divina do Vosso Coração trêmulo na agonia da morte!
Pai Eterno, ofereço-Vos todas as santas missas, passadas, presentes e futuras, unido com a sangrenta agonia de morte do Cristo no Horto da Paixão Getsêmani. Amém.

A PAIXÃO DE CRISTO 
 CONFORME AS REVELAÇÕES 
DE SANTA BRIGIDA.
I.
QUINZE ORAÇÕES DE STA. BRÍGIDA  
AO CRISTO PADECENTE!
1- A Paixão de Cristo no Monte das Oliveiras até a coroação de espinhos. 
Ó Jesus, delícia de todos,  que vos amam, Amigos e Salvador dos pecadores, lembrai-Vos da aflição profunda, mais íntima. que Vós padece-stes quando se aproximou o tempo da Vossa santa Paixão, determinado desde a eternidade, tendo lavado os pés dos Vossos discípulos, tendo lhes dado como alimento o Vosso Corpo e Sangue, tendo  os consolado e então, cheio de aflição, testemunhastes: "Minha alma sente uma tristeza mortal". (Lc 14,34) Lembrai-Vos de todo o tormento e aflição que tendes sofrido antes da Vossa morte na cruz, quando após tripla oração e suor de sangue fostes traido por Vosso discípulo , preso por Vosso povo, acusado por falsas testemunhas, condenado injustamente por Vossos juizes na cidade escolhia, em tempo de grande festa, condenado inocente, despido das Vossas vestes, com punhos batido, amarrado numa coluna, flagelado, coroado de espinhos e atormentado por outros inúmeros maltratos.
Por estes sofrimentos, ó Senhor, meu DEUS, concedei-me verdadeira contrição, digna reparação e o perdão de todos os meus pecados. Pai-Nosso... Ave-Maria...

2- Escárnio de Cristo.
Ó Jesus, alegria dos Anjos, lembrai-Vos da tristeza que Vós suportastes quando todos os Vossos inimigo Vos rodearam como leões furiosos e Vos bateram com os punhos e cuspiram a Vossa face.
Por estes tormentos e as perversas palavras de ultraje com as quais os Vossos inimigos Vos afligiram, salvai-me, ó Senhor Jesus, de todos os meus inimigos visiveis e invisiveis e fazei-me, sob Vossa proteção chegar á salvação eterna. Pai Nosso... Ave-Maria...

3- A Crucificação de Cristo.
Ó Jesus, Criador do mundo, que abrangeis na Vossa imensidade céu e terra, lembrai-Vos do sofrimento amargo que Vós padecestes quando os crueis soldados com agudos pregos traspassaram Vossas mãos e pés pregando-Vos na cruz e nisso acumulando dores mais dores em estirar com tanta violência os Vossos membros conforme o comprimento e a largura da cruz que eles ficaram arrancados das articulções.
Por este amarguíssimo tormento da cruz rogo-Vos conceder-me o santo temor e amor ao Vosso santo nome. Pai-Nosso... Ave-Maria...

4- A prece de Cristo pelos algozes que o crucificaram.
Ó Jesus, médico celeste, lembrai-Vos da fraqueza mortal, das dores que Vos - elevado na cruz - suportastes em todos os Vossos membros feridos e dilacerados, assim que não há dôr igual à Vossa e que não se encontrava nada de são em  Vós da cabeça até as plantas dos pés; e como assim mesmo, não reparando todos estes tormentos, rezastes por Vossos inimigos: "Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem".(Lc 23,34) Por esta Vossa misericórdia concedei-me, alcance o pleno perdão de todos os meus pecados e aberrações. Pai-Nosso... Ave-Maria...

5- A misericórdia de Cristo para com os pecadores arrependidos.
Ó Jesus, espelho da eterna claridade, lembrai-Vos daquela aflição que importunou o Vosso Coração, vendo na luz da Vossa sabedoria o feliz futuro dos escolhidos, que pelos méritos da Vossa Paixão encontram a salvação, mas também a condenação de tantos ateus, que por culpa própria perder-se-ão.
Pela insondável profundeza da Vossa misericórdia, na qual sentistes tão dolorosa compaixão por nós pecadores e errantes e que demonstrastes ao ladrão junto de Vós, dizendo-lhe: "Eu te asseguro: hoje mesmo estarás comigo no Paraiso", (Lc 23,43) rogo Vos, quereis manifestar misericórdia também a mim, na hora da morte. Pai-Nosso... Ave-Maria...

6- O testamento de Cristo na cruz.
Ó Jesus, Rei e Amigo das almas, Vós que unicamente sois digno de todo amor e ânsia, lembrai-Vos daquela aflição sofrida por ver-se em nudez e miséria, abandonado por todos os Vossos amigos, pendurado na cruz a não ser vossa Mãe bem-amada que estava ao Vosso lado na amargura da Sua alma e com santa fidelidade, a qual recomendastes ao discípulo no Vosso lugar assim como também Vós lho destes como filho em de Vós, dizendo:"Mulher, eis aí teu filho! Eis aí tua mãe!" (Jo 19,27)
Pela espada de dor que traspassou naquela hora a Sua alma, rogo-Vos, ó boníssimo Jesus, que em todas as tribulações do corpo e da alma, -principalmente na hora da morte, -queirais proporcionar-me a Vossa compaixão e Vosso consolo. Pai-Nosso... Ave-Maria...

7- A sede de Cristo.
Ó Jesus, fonte de bondade inesgotável, que na cruz com mais profundo desejo dissestes: "Tenho sede!" (Jo 19,28) (Pela salvação do genero humano), inflamai em nossos corações o desejo pela prática das verdadeiras virtudes e exterminai em nós completamente a concupiscência da carne, todo amor desordenado dos prazeres dos sentidos. Pai-Nosso... Ave-Maria...

8- A bebida de Cristo.
Ó Jesus, doçura do coração e satisfação indelevel das almas dedicadas a Vós!
Pela amargura do vinagre e fel que provastes para mim, concedei-me, que possa Vos receber dignamente na hora da morte para a salvação e consolação da minha alma. Pai-Nossa... Ave-Maria...

9- O clamor de angustia de Cristo na cruz.
Ó Deus, força dominante e júbilo do ânimo, lembrai-Vos da tortura e aflição que sofrestes quando ao aproximar-se a morte, bradastes com um grito forte:"Meu DEUS, meu DEUS, por que me abandonaste?" (Mc 15,34)
Por este pavor do aparente abandono, pelo qual nos tendes redimido do abandono, pelo qual nos tendes redimido do abandono eterno, rogo Vos, Senhor, nosso DEUS, que nunca me abandoneis nas minhas aflições! Pai-Nosso... Ave-Maria...

10- As muitas feridas de Cristo.
Ó Jesus, Início e Fim, Força e Vida, lembrai-Vos que da cabeça até as plantas dos pés Vos mergulhastes totalmente no mar da Paixão.
Pela grandeza e profundeza das Vossas feridas dolorosas, ensinai-me, abismado em pecados, observar os Vossos mandamentos em obediência amorosa! Pai-Nosso... Ave-Maria...

11- As feridas profundas de Cristo.
Ó Jesus, abismo de profundíssima misericórdia, pela profundeza das Vossa feridas que traspassaram o tutano dos Vossos ossos, rogo-Vos, retirai-me do abismo dos pecados e ocultai minha alma nas vossas santas Chagas da Vossa face irada, pronta para castigar, a fim de que não me atinja a Vossa justica! Pai-Nosso... Ave-Maria...

12- As feridas sangrentas de Cristo.
Ó Jesus, imagem reluzente da verdade, sinal da união e elo do amor, lembrai-Vos das feridas inúmeras que  cobriram todo o Vosso corpo e o atingiram com Vosso preciosíssimo Sangue, lembrai-Vos das torturas inconcebíveis que Vós padecestes neste Vosso Corpo puríssimo por nós. O que poderieis fazer mais que Vós não tendes feito?
Rogo-Vos, ó boníssimo Jesus, escrevais com Vosso preciosíssimo Sangue no meu coração todas estas feridas, a fim de que leia nele sempre o Vosso sofrimento e a Vossa morte e persevere até ao fim em fiel gratidão. Pai-Nosso... Ave-Maria...

13- Última angustia de Cristo.
Ó Jesus, Rei imortal e invencível, lembrai-Vos da angustia que tendes sofrido quando todas as forças do Vosso Corpo desapereceram totalmente e inclinando a cabeça exclamastes: "Tudo está consumado! (Jo 19,30)
Por esta Vossa angustia de morte, tenhais compaixão de mim na minha derradeira hora, quando minha alma estiver aflita e meu espírito desanimado! Pai-Nosso... Ave-Maria...

14- A morte de Cristo.
Ó Jesus, Unigênito do Pai Altíssimo e Imagem da Sua Sabedoria, lembrai-Vos do Vosso abandono íntimo com que exclamastes: "Pai, nas Tuas mãos entrego o meu espírito!"
Por esta precisa morte, rogo-Vos, ó Rei dos Santos, fortalecei-me na luta contra satanás, o mundo e a carne a fim de que, morrendo pelo mundo, viva para Vós e minha alma, voltando na hora da morte da sua peregrinação, seja por Vós recebida com amor misericordioso. Pai-Nosso... Ave-Maria...

15- O último e total derramamento do Sangue de Cristo.
Ó Jesus, verdadeira e Fértil Videira, na qual estamos implantados, lembrai-Vos daquele derramamento profuso do Vosso Sangue, que Vós derramastes como o suco da uva exprimida quando do Vosso lado aberto pela lança fizestes brotar tão abundantemente sangue e água que não restou uma gotinha e Vosso Corpo pendurava no alto da cruz.
Por este derramamento do Vosso Sangue fortaleça minha alma na última agonia da morte e fazei-a apresentar-se a Vós limpa de todas as manchas! Pai-Nosso... Ave-Maria...

ORAÇÃO FINAL
Aceitai, ó Jesus, esta oração naquele amor imenso, com o qual tendes suportado por nós todas as feridas do Vosso santíssimo Corpo. Tende compaixão de mim e de todos carregados de pecados e concedei  a todas as almas fiéis, às vivas como às falecidas, graça, perdão e a vida eterna. Amém.
Alegrai-vos, podendo participar na paixão de Jesus Cristo para que, na revelação da Sua glória também possais jubilar e vos alegrar.
Levantai o coração para o Seu Coração, pois este é o Coração que vos tem criado, e nos abraça no Seu infinito amor. Este se consome de dor em nosso próprio peito. Sem nós o suspeitamos, DEUS que nos dá a paz do coração. Vamos dizer sim à voz de DEUS e cumprir o santo dever do amor de DEUS para com os nossos próximos. Gostemos de rezar as orações de Santa Brígida e nos tornemos filhos da nossa mãe cuidadosa da santa Igreja católica-romana.
PROMESSAS DE SANTA BRÍGIDA
No dia 14 de junho de 1303, no momentodo nascimento de Brígida, o pároco de Rasbo na Suécia estava rezando pela libertação feliz de Ingeborde. De repente viu-se rodeado de uma luz resplandecente da qual  saiu a virgem-Mãe e disse: "Em Birger nasceu uma menina, sua voz será ouvida pelo mundo inteiro."
Estas orações e promessas foram num livro impresso em Toulouse, escritas e publicadas por Pe. Adrien Parvillers, Jesuita, missionario apostólico da Terra Santa com a licença e recomendação de propagá-las. Papa Pio IX tomou conhecimento destas orações. Ele as confirmou em 31 de maio de 1862 e as julgou verdadeiras, pois causam benefícios para o bem das almas. Este reconhecimento do Papa foi confirmado por Deus pela realização das promessas com todas as pessoas que tinham rezado as orações e por inúmeros fatos e sinais pelas quais Deus queria mostrar que realmente vinham dEle.
Há muito tempo, Sta. Brígida tinha pedido o Senhor de lhe revelar o número de pancadas sofridas na Sua dolorosa Paixão. Um dia apareceu o Salvador e lhe disse: Recebi no meu Corpo 5 480 pancadas. Querendo venerá-las, reze cada dia, durante um ano, 15 Pai nossos e 15 Ave Marias e mais  as 15 orações. Passado este ano, tens venerado cada uma destas 5.480 feridas. E o Salvador disse  então ainda: Quem rezar estas orações diariamente  durante um ano, livrará do purgatório 15 almas do seu parentesco ; 15 almas justas do seu parentesco receberão a graça da perseverança e 15 pecadores do seu parentesco converter-se-ão. A própria pessoa que as reza, alcançara os primeiros graus da perfeição e 15 dias antes da sua morte dar-lhe-ei o meu precioso Corpo, para ficar preservada da fome 
eterna; dar-lhe-ei beber meu precioso Sangue para ficar preservada da sede eterna . E 15 dias antes da sua morte, receberá contrição profunda e grande conhecimento dos seus pecados. Colocarei o sinal da minha cruz vitoriosa entre ela e o maligno para que fique preservada das suas ciladas. Antes da sua morte chegarei com minha cara, bem-amada Mãe, receberei sua alma com clemência e introduzi-la-ei no gozo eterno. No céu receberá um conhecimento especial da minha Divindade, que não transmitirei àqueles que não rezam estas orações. 
Mesmo que alguém tivesse passado 30 anos em pecado mortal, logo que reza estas orações ou faz o propósito de rezá-las, o Senhor perdoar-lhe-á todos os seus pecados e defender-lhe-á contra todas as más tentações. Ele proteja seus 5 sentidos e o preserve de uma morte repentina e imprevista e a sua alma da condenação eterna. E tudo que deseja de Deus e da SS. Virgem ser-lhe-á concedido. Quem também ensinar estas orações a outros, receberá alegrias e recompensas eternas. No lugar, onde se rezam estas orações, Deus está presente com Sua graça. Todos estes privilégios foram prometidos pelo Salvador Crucificado à Sta. Brígida. O tal crucifixo ainda hoje está venerado na Igreja São Paulo em Roma.
Devia-se evitar omitir as orações um dia. Mas se houver um impedimento sério que as orações de modo nenhum possam ser rezadas, não se perdem as graças ligadas nelas, quando as 5 480 orações ficarão rezadas durante o ano. Devem ser rezadas com muita devoção, pensando naquilo que se reza. Poderão ser rezadas em fazer a via sacra.


III.
OS SETE PAI NOSSOS


O divino Salvador revelou à Sta. Brígida ainda a promessa seguinte: "Sabeis, que darei 5 graças àqueles que durante 12 anos, irão rezar sete Pai -Nosso e Ave- Marias em honra do meu precioso Sangue:


1. Não terão que passar pelo purgatório.
2. Aceitar-lhes-ei no Coro dos Mártires como se tivessem derramado o seu sangue pela fé.
3. Conservarei 3 almas dos seus parentes na graça santificante conforme sua escolha.
4. As almas dos seus parentes até 40 grau escaparão do inferno.
5. Um mês antes de sua morte ser-lhes-a dado conhecimento dela.


Se por acaso irão morrer antes dos 12 anos completos, irei julgar como se fossem as condições cumpridas.
Papa Inocêncio X confirmou esta revelação e acrescentou que as almas cumpridoras das condições libertarão cada 6ª feira Santa uma alma do purgatório. À esta devoção, facilmente, se unirá a veneração e o oferecimento das Santas Chagas do nosso Salvador; pois das Suas Chagas brotou o precioso Sangue. O Redentor recomendou este exercício à irmã Maria Marta Chambon e lhe deu grandes promessas a respeito deste.
Recomenda-se, acrescentar aos 7 Pai nossos as orações seguintes:

NO INÍCIO

Ó Jesus, agora quero rezar 7 vezes o Pai nosso unido àquele amor com que Vós santificastes e dulcificastes no Vosso Coração esta prece. Aceitai-os dos meus lábios para o Vosso divino Coração, melhorai e aperfeiçoai-os tanto que eles promovam tanta honra e glória a SS. Trindade como Vós a oferecestes por esta oração. E esta honra e glória transborde para Vossa SS. natureza humana, a fim de glorificar Vossas santas Chagas e o preciosíssimo Sangue derramado por Vós.
Durante os Pai nossos, medita-se o mistério e após se reza o oferecimento.


1º CIRCUNCISÃO:  Pai -Nosso... Ave-Maria... Pai eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e pelo divino Coração de Jesus, ofereço-Vos a primeira ferida, as primeira ferida, as primeiras dores e  o primeiro derramamento do Sangue de Jesus como reparação dos meus pecados e dos de todos os homens durante a juventude como preservativo contra os primeiros pecados graves principalmente entre os meus parentes.


2º SUOR DE SANGUE: Pai-Nosso... Ave-Maria...Pai eterno,pelas mãos Imaculadas de Maria e pelo divino Coração de Jesus, ofereço-Vos os horriveis tormentos de Jesus no Horto das Oliveiras e cada gota do Seu suor de sangue como reparação dos meus pecados de coração e dos de todos os homens, como preservativo contra tais pecados e pelo aumento do amor a Deus e ao próximo.


3º FLAGELAÇÃO: Pai-Nosso... Ave-Maria... Pai eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e pelo divino Coração de Jesus, ofereço-Vos as milhares feridas, as dores crueis e o preciosíssimo Sangue de Jesus derramado na flagelação como reparação dos meus pecados da carne  e os de todos os homens, como preservativo contra tais pecados e para a conservação da pureza principalmente nos meus parentes.


4º COROAÇÃO DE ESPINHOS: Pai-Nosso... Ave-Maria... Pai eterno, pelas mãos Imaculadas de Maria e pelo divino Coração de Jesus, ofereço-Vos as feridas, as dores e o precioso Sangue da santa Cabeça de Jesus derramado na coroação de espinhos como reparação dos meus pecados de espírito e os de todos os homens, como preservativo contra tais pecados e pela expansão do Reino de Cristo na terra.


5º  CAMINHO DA CRUZ: Pai-Nosso... Ave-Maria... Pai eterno,  pelas mãos Imaculadas de Maria e pelo divino Coração de Jesus, ofereço-Vos os sofrimentos de Jesus na Sua Via Sacra em particular na santa chaga do ombro e o precioso Sangue da mesma como reparação da minha revolta e a todos os homens contra a cruz, do meu resmungar contra as determinações da vossa santa vontade e de todos os outros pecados da língua, como preservativo contra tais pecados e para obter verdadeiro amor à cruz.


6º  CRUCIFICAÇÃO DE JESUS: Pai nosso... Ave-Maria... Pai eterno, pelas mãos  Imaculadas de Maria e pelo divino Coração de Jesus, ofereço-Vos o Vosso divino Filho na cruz, Suas chagas nas mãos e pés e os os três torrente do seu santo sangue que delas se derramaram por nós. Sua extrema pobreza, Sua obediência, todos os Seus tormentos do corpo e da alma, Sua morte preciosa e a incruente renovação dela em todas  as santas missas da terra inteira  como reparação de todas as transgressões dos Santos votos e regras das ordens e congregações dos, meus pecados e dos do mundo inteiro, em favor  dos doentes e moribundos, para obter santos sacerdotes e leigos, nas intenções do Santo Padre, para a restauração das família cristãs, para fortaleza na fé, por nossa pátria e a união dos povos em Cristo e Sua Igreja, como também pela diáspora.


7º  ABERTURA DO SANTO LADO: Pai-Nosso... Ave-Maria... Pai eterno, dignai- Vos aceitar para as necessidades da santa Igreja e como reparação dos pecados  de todos os homens o preciosíssimo Sangue e água que manaram da chaga do divino Coração de Jesus e sede para todos nós  clemente e misericordioso. Sangue de Cristo, último e preciosíssimo tesouros do Seu Sagrado Coração, purificai-me de todas as culpas, minhas e alheias, água do lado de Cristo, purificai- me de  todos os castigos do pecado e apagai as  chamas do purgatório para mim e para todas as almas santas nele Amém.


DIA 8 DE OUTUBRO: 
A SANTA  BRÍGIDA DA SUÉCIA.
(nascida 1303 em Finstad, falecida 23.7.1373 em Roma)


A Suécia é a sua Terra Natal. Apesar de ter passado a metade de sua vida em Roma, nunca se esqueceu de sua Terra  no Norte; suas montanhas, suas lagoas escuras, seus campos de trigo e sua floresta aparecem em seus escritos. Ela sempre amava a natureza. Os romanos a respeitaram mas não a compreenderam.
Ela nasceu como sétima filha do prefeito Birger e de sua esposa Ingeborg Sigride; foi no ano 1303 no castelo de Finstad, perto de Úpsala. Sua família era aparentada aos reis, e era  bem rica.  Não faltou nada em sua casa; e ela se orgulhava da sua origem. Dos pais ela aprendeu dominar seu temperamento bem forte. Seu pai fez uma romaria para Santiago di Compostela, Roma e Jerusalém. Ele jejuou e se confessou todas as Sextas-feiras. Também sua esposa Ingeborg era bem piedosa.
A mãe já tinha falecido, quando aconteceu aquilo que mudou o rumo de sua vida. Uma pregação sobre a Paixão de Cristo comoveu profundamente o coração da menina Brígida, tendo ela 9 anos de idade. Ela passou uma noite ajoelhada e chorando, e tremendo de frio, diante de um crucifixo. A voz do Crucificado falou para ela: "Veja, como fui maltratado!" Assustada, ela clamou: "Senhor, quem te fez isto?" Cristo a respondeu: "Fizeram aquele que rejeitaram a Mim e o meu Amor."
Na idade de 14 anos, ela atendeu o pedido de seu pai, e se casou com o conde Ulf Gudmarson, de 18 anos de idade. Ela assumiu as obrigações duma dona de casa, esposa e mãe, deu a luz a 4 filhos e 4  filhas. Brígida passou pelas alegrias e pelos sofrimento de  uma mãe, continuando uma vida piedosa. Também seu marido era homem religioso. O casal pertencia  à Terceira Ordem de São Francisco. Os dois rezaram e jejuaram juntos, fizeram  penitência, construíram hospitais e alimentaram, diariamente, 12 pobres na sua mesa. Juntos eles leram a Bíblia, na nova tradução sueca do seu Confessor Matias de Linköpig. Também assumira cargos públicos de importância, e os administraram com muita responsabilidade. Mais tarde, o casal fez uma peregrinação para Dronthem, ao sepulcro do Sto. Olaf, rei da Suécia Visitaram o ilustre santuário do apóstolo Tiago em Compostela, prestaram  homenagem às  relíquias dos Reis Magos  em Colonia, visitaram o sepulcro da Santa Marta em Tarascon, e o Santuário da Sta. Maria  Madalena  em Marseille.
O seu marido ficou curado duma grave doença. Motivado por esta cura, ele fez votos de retirar-se para o Mosteiro de Monges em Alvastra. Brígida concordou. Ele vivia ainda por 4 anos, e foi sepultado, fiel ao seu voto, no hábito de um monge.
Brígida, a viuva, distribuiu os seus haveres, se gurando apenas o Necessário, e vivia perto do túmulo do seu marido, num prédio do Mosteiro. Longe do Barulho do mundo, no silêncio das meditações , ela ouviu a voz do Onipotente que falou para Brígida. Aí ela recebeu as primeiras revelações que se prolongaram até a sua morte. Obedecendo à ordem recebida de Cristo, ela escreveu tudo que ouviu, na língua maternal. Numa linguagem poética e ilustrada, e em parábolas, ela vê a vida confusa do seu povo, seu passado e futuro; vê as desgraças da Igreja, a vida de Jesus, apartir de Belém até Gólgota. Durante muito tempo, ela passa por dúvidas, ignorando, se as suas visões partissem de Deus ou do diábo. E ela repediu por muitas vezes esta oração: "Meu corpo é como um jumentinho desenfreado, e minha vontade é como um pássaro
selvagem. Põe freio ao jumentinho desenfreado, e segura o pássaro selvagem!"
Algum dia, motivada por revelações, ela apareceu no Conselho real e advertiu ao rei. Todos riram dela. Mas, dentro de pouco, sua profecia se realizou. Surgiram guerras e assassínios, e a família real desapareceu. As visões mandaram que ela fundasse a Ordem do Sacratíssimo Salvador, e que ela transformasse a antiga propriedade real em um mosteiro. Tudo que ouviu nas visões, ela escreveu num papel. Em seguida foi à Roma para ver o Papa e o Imperador, querendo pedir deles a autorização para sua fundação.
Chegada em Roma, Brigida assustou muito. Rebanhos de cabras apascentaram fora e dentro da Basílica de São Pedro, o Papa residia em Avinhão, nas ruas de Roma houve guerra e briga das famílias Orsini e Colonna, os peregrinos estavam em perigo, constantemente. Brígida sofreu muito com aquilo que viu. Ela já vivia a regra de sua futura fundação, visitava, diariamente os túmulos dos apóstolos e mártires. Durante o correr do tempo, ela dirigiu várias mensagens ao Papa Clemente VI,e lhe comunicou a ordem de Deus que ele volte à Cidade de Roma, a cidade dos Papas. O Papa não a atendeu. Só anos depois, Urbano V regressou para Roma. Aí ele reconheceu a fundação da profetiza do Norte. Mas 3 anos depois, ele voltou para Avinhão, outra vez. Passaram anos ainda até que ele voltou para Roma definitivamente. Era outra visionária que conseguiu isto: Catarina de Siena.
Uma peste matou a metade da população da Itália. Brígida se preocupou com os doentes, visitou muitos deles nas suas casas, levando-os aos hospitais; ela fez até obras milagrosas.
No Ano jubilar, 1350, ela cuidou dos peregrinos da Suécia que  vieram visitar a Roma. Muitos deles chegaram em Roma sem meios para sobreviverem, cansados e exaustos. Também 3 filhos seus vieram visitar a mãe:  o Birger, o Carlos e a filha Catarina que chamou a atenção dos romanos por causa de sua beleza. O Carlos faleceu, vítima de uma febre, em Nápoles. Acompanhada pelo Birge e a Catarina, a mãe visitou a Terra Santa. Era o final de uma vida dedicada ao Reino de Deus.
Na Suécia surgiu o mosteiro de Vadstena.  A Brígida não mais chegou a vê-lo. Voltado à Roma, em 1373, ela, cansadíssima, entrou na sua residência. Passou por fortes provações de fé. Cristo a apareceu e a confortou, colocando na mão dela uma aliança, enquanto o coro de anjos cantou o louvor a Deus. Na mesma visão, ela se viu como irmã religiosa, vestida com um hábito. Bem unida com Deus nas suas visões, ela se despediu desta terra no dia 23 de julho 1373. Os filhos assistiram à morte de sua mãe.




"Só um Coração aberto recebe AMOR
Só uma mente aberta recebe SABEDORIA"




Nenhum comentário:

Postar um comentário