.

.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

A Aparição de Jacareí SP Brasil
Devoção dos 15 Sábados do Rosário
Dia 25 de Agosto de 2012
9º Sábado.

(Livro)
Devoção dos 15 Sábado do Rosário.

Cristo
Ontem, hoje e sempre.

Este livreto foi organizado e publicado em louvor de nosso Senhor Jesus Cristo e de sua Mãe Maria santíssima, e como recordação da passagem ao terceiro milênio de nossa feliz era da graça cristã.


OS 15 SÁBADOS DO ROSÁRIO

É uma devoção muito antiga propagada pelos frades dominicanos, filhos da Ordem de São Domingos, o grande Santo pregador do rosário. Esta devoção é feita durante 15 sábados seguidos de Junho a Outubro, sendo que o último será o mais próximo da festa de Nossa Senhora do Rosário, que se celebra no dia 7 de Outubro.
Quando o primeiro sábado começar dia 30 de Junho, o último sábado cai na festa do Rosário a 7 de Outubro. Nada impede, entretanto, que seja feita em qualquer outra época do ano.

Como se faz a devoção:

Em cada sábado comemora-se um dos 15 mistérios do Rosário: no primeiro sábado é o primeiro mistério gozoso, a Encarnação; no segundo sábado o segundo mistério, a Visitação, e assim por diante, até o 5º gozoso. Depois destes começarão os 5 dolorosos, e terminados seguem os 5 gloriosos.
Em cada sábado reza-se o terço. Para cada dezena há uma leitura meditada sobre o respectivo mistério, procurando aplicar na própria vida os exemplos das virtudes de Jesus e Maria. Depois do terço reza-se a Ladainha de Nossa Senhora.
É muito louvável que nesses sábados se participe da Missa e se receba a santa comunhão.
Para se alcançar as graças que se desejam, peçamos também por toda a Santa Igreja, pelos nossos parentes, amigos, conhecidos, benfeitores, pois esta caridade para com o próximo, atrairá para nós mesmos a misericórdia de Deus, mediante a poderosa intercessão de Nossa Senhora.

ORAÇÕES PARA O INÍCIO DO TERÇO

Pelo sinal da Santa Cruz, livre-nos Deus nosso Senhor de nossos inimigos. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Creio em Deus Pai todo poderoso, criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu único filho, nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria; padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado. Desceu a mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus; está sentado à direita de Deus Pai todo poderoso, donde a de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja católica; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na ressurreição da carne; na vida eterna. Amém.

Oferecimento:

Divino Jesus, nós vos oferecemos este terço que vamos rezar, contemplando os mistérios da nossa Redenção. Concedei-nos pela intercessão de Maria, vossa Mãe santíssima, q quem nos dirigimos, as virtudes para bem rezá-lo e a graça de ganharmos as indulgências anexas a esta santa devoção.


9º Sábado
4º Mistério Doloroso
Jesus sobe ao Calvário


Jesus com a cruz às costas caminhou para o Calvário (Jo 19,17).


Primeira Dezena

Desejando libertar Jesus, Pilatos continuava debatendo com os Judeus, quando estes astutamente gritaram: Se o soltas não és amigo de César, pois todo o que se faz rei é inimigo de César.
Pilatos estremeceu ante a ameaça de ser denunciado ao imperador romano. Vendo que o tumulto crescia, mandou que trouxessem água e lavou as mãos diante do povo, dizendo: Sou inocente do sangue deste justo; sobre vós pesa toda responsabilidade.
O povo respondeu: Seu sangue cáia sobre nós e nossos filhos!
Jesus estava condenado à morte. Uma gritaria de feroz triunfo levou a notícia para fora do palácio, onde grande multidão aguardava o resultado do julgamento.
Nossa Senhora, com São João e as santas mulheres, também esperavam. Ao ouvirem que Jesus fora condenado sentiram um choque mortal. São João empalideceu e as mulheres desmaiaram. Nossa Senhora sentiu a alma partir-se de dor, mas com invencível fortaleza permaneceu firme para encorajar os outros.
Senhor, quem vos condenou foram nossos pecados. Com profundo sentimento de vos ter ofendido, suplicamos que vosso sangue devino cáia sobre nossas almas para purificá-las, já que para isso quisestes derramá-lo. Já não farei caso do julgamento dos homens e do mundo, pois se condenaram a Vós, Deus Santíssimo, que poderemos nós esperar deles?
De que vale ganhar o mundo inteiro se perdermos nós esperar deles?
De que vale ganhar o mundo inteiro se perdermos nossa alma?

Bendigamos ao Senhor.
Graças a Deus.
Pai-Nosso... 10 Ave-Marias... Glória ao Pai...


Segunda Dezena

Vestiram Jesus novamente para que fosse reconhecido pelo povo, e deram-lhe para carregar a grande e pesada cruz na qual seria crucificado. Jesus toma-a se põe a caminho do monte Calvário, que ficava fora da cidade. Com Ele seguiam dois ladrões que também iam ser executados. Uma numerosa e desordenada turba os acompanha: carrascos, soldados, gente do povo, gritando e se atropelando.
Após pequeno trecho do caminho Jesus cai sob o peso da cruz, esgotado pelo cansaço. Aumenta a gritaria e movimento. Jesus consegue levantar-se e prossegue.


 Ao dobrar uma rua avista sua Mãe Santíssima, que lhe vinha ao encontro. À vista de seu Deus, queria recobrar a força de sofrer, e com sua atitude heróica dar coragem ao Filho para terminar a obra da redenção.
Penetremos no martírio desses dois corações: não se podem consolar nem aliviar, pelo contrário; as dores de Maria são para Jesus sua maior tortura; os sofrimentos de Jesus são para Maria o instrumento de seu martírio. Como se obscurecidos e ensangüentados do Filho. Não trocam uma só palavra, mas quanta coisa dizem naquele doloroso olhar.
Quando sofremos por causa daqueles que amamos, procuremos força e resignação nesse encontro de Jesus e Maria.

Bendigamos ao Senhor.
Graças a Deus.
Pai-Nosso... 10 Ave-Marias... Glória ao Pai...


Terceira Dezena

Jesus continua o caminho, mas cai novamente. Está tão desfalecido, que seus inimigos temem que morra antes de chegar ao Calvário. Se isto acontecesse, perderiam o diabólico prazer de o crucificarem. Obrigaram então, um homem chamado Simão de Cirene a ajudar Jesus a carregar a cruz.
Meus repetidos pecados é que pesaram tanto sobre vossa cruz, Senhor, fazendo-vos cair tantas vezes. De agora em diante quero ajudar-vos como o Cireneu, levando convosco a cruz do meu dever e das provações da vida.
Entre tantos tormentos e insultos, uma mulher chamada Berenice proporcionou a Jesus delicada consolação. Molhou um pano em água fresca, e atravessando corajosamente a multidão, apresentou-o a Jesus.
O Senhor aceita, enxuga a face ferida, e como recompensa deixa-lhe seu retrato gravado naquele pano.
Quantas vezes, Senhor, por minhas infidelidades, desfigurei a vossa imagem gravada em minha alma pelo batismo. Desde hoje porém, começarei a restaurar sua beleza, fazendo tudo quanto vos agrada e quereis de mim.

Bendigamos ao Senhor.
Graças a Deus.
Pai-Nosso... 10 Ave-Marias... Glória ao Pai...


Quarta Dezena

Apesar do auxílio do Cireneu, Jesus torna a cair duas vezes no caminho.
Sua primeira queda obterá para os pecadores aferrados ao pecado, força para se converterem.
A segunda encorajará as almas desanimadas pela tristeza e inquietação, a se erguerem e prosseguirem com novo ardor o caminho da virtude.
A terceira ajudará as almas a se arrependerem na hora suprema da morte.
Entre a multidão que assistia a passagem de Jesus, algumas mulheres tanto se comoveram com o seu aflitivo estado, que se puseram a chorar e a lastimá-lo com exclamações compadecidas.
Jesus lhes diz: Não choreis por mim, mas sim por vós e vossos filhos, pois se assim é tratada a lenha verde, que será da seca?
Jesus não reprova a compaixão por suas dores, mas adverte que isso nada nos servirá se não deixarmos o pecado. Não confundamos sentimento com devoção. O sentimento é passageiro e muda continuamente. A verdadeira devoção é a resolução firme de seguirmos e amarmos a Deus, permanecendo sempre em sua divina graça.
Sejamos árvore sempre verde e viva, e poderemos oferecer a Deus e ao próximo flores de virtude, frutos de boas obras, e sombra de paz e felicidade.

Bendigamos ao Senhor.
Graças a Deus.
Pai-Nosso... 10 Ave-Marias... Glória ao Pai...


Quinta Dezena

A distância do palácio de Pilatos até o Calvário era de quase um quilômetro. Chão pedregoso, ladeiras, valetas, tudo transformou a via sacra de Jesus na mais dolorosa caminhada.
Finalmente chegou, não para descansar, mas para ser crucificado. Terrível sorte, se para lá de todo esse sofrimento, não brilhasse a luz da gloriosa ressurreição.
Cristo continua a sua via-sacra neste mundo, na vida de cada criatura humana. Quando sofremos vamos caminhando com Ele, caindo, levantando, regando o chão com lágrimas, suor e sangue. No fim do caminho espera-nos a sombria hora da morte.
Que angústia e desespero seria nossa existência, se a fé não nos assegurasse que depois desta vida, encontraremos o repouso e a felicidade eterna. Para garantir-nos a vitória é que Jesus tanto sofreu e morreu.
Nós cremos, Senhor, mas aumentai nossa fé. Que ela seja tão fulgurante que ilumine todos nossos dias! Seja tão firme e inabalável que nada consiga enfraquecer nossa confiança em vós.
Ó Virgem fiel, alcançai-nos essa graça pelas dores que padecestes na paixão de vosso Filho.

Vivência para a semana – As cruzes.



É o Senhor Deus que nos envia cruzes? Absolutamente. Nosso boníssimo Pai celeste criou o homem feliz, num mundo perfeitamente ordenado, material e espiritualmente.
Ele desejava que assim permanecesse para sempre, mas o homem, instigado por Satanás, cometeu o pecado de orgulho e desobediência.
Aconteceu a terrível explosão do mal que feriu e destruiu a ordem de toda a criação. Então nasceram as cruzes e o sofrimento.
Não foi castigo de Deus. Foi a conseqüência da infidelidade do próprio homem. Desse modo, ele, e todos os seus descendentes, passaram a ser fabricantes de cruzes, para si e uns para os outros.
Até a natureza revolta-se contra o homem que se revoltou contra Deus. Terremotos, tempestades, secas, enchentes, feras perigosas, insetos venenosos. Dores da alma e do corpo; doenças, fadigas, misérias, fome, acidentes, guerras, crimes, tristezas, lágrimas, lutos, morte.
Fábricas incontáveis de cruzes a bombardear a vida de todos.
Onde encontrar algum remédio? Na santidade. O santo sofre as cruzes, venham donde vier, mas não fabrica nenhuma para os outros. Se todos fossem santos, acabaria a fabricação, e o mundo seria um paraíso!
Este é um sonho que, só mesmo no Paraíso será realidade, mas não esqueçamos que a santidade é obrigatória para todo cristão.
Se nos esforçarmos por vivê-la contribuiremos para um mundo mais feliz. Nosso Pai do céu será mais amado e menos acusado de mandar cruzes para seus filhos.

Bendigamos ao Senhor.
Graças a Deus.
Pai-Nosso... 10 Ave-Marias... Glória ao Pai...


ORAÇÕES FINAIS
Terminado o Terço:

Infinitas graças vos damos, soberana Princesa, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos liberais. Dignai-vos agora e para sempre tomar-nos debaixo do vosso poderoso amparo e para mais vos obrigar vos saudamos com um ia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei; e depois a Salve Rainha.

Salve Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve. A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. E deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre virgem Maria. Rogai por nós Santa Mãe de Deus; para sejamos dignos das promessas de Cristo.

À vossa proteção nós recorremos, ó Santa Mãe de Deus. Não rejeiteis as súplicas que em nossas necessidades vos dirigimos, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.


Ladainha de Nossa Senhora

Senhor, tende piedade de nós
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós
Santíssima Trindade que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós.
Santa Mãe de Deus,
Santa Virgem das virgens,
Mãe de Jesus Cristo,
Mãe da divina graça,
Mãe purríssima,
Mãe castíssima,
Mãe imaculada,
Mãe intacta,
Mãe amável,
Mãe admirável,
Mãe do bom conselho,
Mãe do Criador,
Mãe do Salvador,
Mãe da Igreja,
Virgem prudentíssima,
Virgem venerável,
Virgem louvável,
Virgem poderosa,
Virgem benigna,
Virgem fiel,
Espelho de justiça,
Sede de sabedoria,
Causa de nossa alegria,
Vaso espiritual,
Vaso honorífico,
Vaso insigne de devoção.
 Rosa mística,
Torre de Davi,
Torre de Davi,
Torre de marfim,
 Casa de ouro,
Arca da aliança,
Porta do céu,
Estrela da manhã,
Saúde dos enfermos,
Refúgio dos pecadores,
Consoladora dos aflitos,
Auxílio dos cristãos,
Rainha dos anjos,
Rainha dos patriarcas,
Rainha dos profetas,
Rainha dos Apóstolos,
Rainha dos mártires,
Rainha dos confessores,
Rainha das virgens,
Rainha de todos os santos,
Rainha concebida sem pecado original,
Rainha assunta ao céu,
Rainha do santíssimo rosário,
Rainha da Paz.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.

Oremos:

Ó Deus, cujo Unigênito nos mereceu por sua vida, morte e ressurreição, as recompensas da eterna salvação, fazei, vo-lo pedimos, com que honrando estes mistérios do santíssimo rosário da bem-aventurada Virgem Maria, imitemos o que encerram e obtenhamos o que prometem. Pelo mesmo Cristo nosso Senhor. Amém.

Bênção de Nossa Senhora

Com vosso Divino Filho, abençoai-nos piedosa Virgem Maria. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.



A Paz!




Nenhum comentário:

Postar um comentário