.

.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

06 de Agosto
Transfiguração do Senhor

1. A revelação do Filho de Deus
A Festa da Transfiguração do Senhor remonta ao século V, no Oriente. Na Idade Média estendeu-se por toda Igreja Universal, especialmente com o Papa Calisto III.
O episódio foi relatado pelos evangelistas Mateus, Marcos e Lucas. Presentes estavam os apóstolos Pedro, João e Tiago. Jesus transfigurou-se diante deles, seu corpo ficou deveras luminoso e resplandecentes as suas vestes. Com isto Jesus quis manifestar aos discípulos que Ele era realmente o Filho de Deus, enviado pelo Pai. Jesus é o cumprimento de todas as promessas de Deus; é Deus conosco, a manifestação da ternura e da misericórdia do Pai entre os homens. A sua paixão e morte não serão o fim, mas tudo recobrará sentido quando Deus Pai o ressuscitar e o fizer sentar à Sua direita, na Sua glória. Tudo isto é dito de uma maneira plástica - luz, brancura, glória, nuvem... que indicam a presença de Deus.
O caminho necessário para a ressurreição é, contudo, o caminho da cruz, da paixão e morte, da entrega total de Sua vida pelo perdão dos pecados.
2. Um Deus que surpreende
Já o profeta Daniel ficou surpreendido, de ver entrar na glória e receber uma realeza divina, com poder eterno, alguém semelhante a qualquer filho do homem.
Surpreendidos ficaram também os três apóstolos no Tabor ao verem Jesus tão divinamente transfigurado, estando precisamente a rezar preocupado, como qualquer homem, com o que ia sofrer em Jerusalém (Evangelho).
E Pedro, mais tarde, continuava ainda impressionado de ter sido «testemunha ocular da sua majestade divina» no Tabor, habituado como andava à sua companhia tão humana.
Nunca apreciaremos devidamente que Jesus, sendo tão humano e tão próximo, seja também tão divino e poderoso: «O Altíssimo sobre toda a terra» (Salmo).

 Que o desejo de chegarmos até ao reino nos estimule quando o caminho se tornar mais difícil; que a visão da glória celeste, que nos está reservada, dê aos pecadores que nós somos, o gosto de sermos purificados, transfigurados.

Deus eterno e omnipotente, que na gloriosa transfiguração do vosso Filho Unigénito confirmastes os mistérios da fé com o testemunho da Lei e dos Profetas e de modo admirável anunciastes a adopção filial perfeita, fazei que, escutando a palavra do vosso amado Filho, mereçamos participar na sua glória. Por Nosso Senhor...



Nenhum comentário:

Postar um comentário