.

.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Vida de Santa Margarida Maria Alacoque 
Escrita por ela mesma
“Junho mês do Sagrado Coração de Jesus”


ATRATIVO PARA A ORAÇÃO

Em meio a tudo isso, sentia-me tão fortemente atraída para a oração que me dava grande pena não saber nem poder aprender como fazê-la, porque não tinha nenhum trato com pessoas espirituais e não sabia de oração mais que o nome, que atraía a minha alma. Mas recorrendo a meu soberano Senhor, ele me ensinou como queria que eu a fizesse, e isto me serviu para toda a vida. Mandava-me prostrar humildemente diante dele, para lhe pedir perdão de tudo aquilo em que o tivesse ofendido; depois de adorá-lo, oferecia-lhe minha oração, sem saber ainda como fazê-la. Logo ele mesmo se me apresentava no mistério no qual queria ser considerado.
Ele absorvia tão fortemente meu espírito, embebendo em si a minha alma e todas as minhas potências, que não tinha distração alguma; pelo contrário, sentia o coração consumido em desejos de o amar. Nascia em mim uma fome insaciável da sagrada comunhão e de sofrimentos; mas não sabia como orar. Não tinha outro tempo senão o da noite. Tomava dela o que podia. E embora esta ocupação me fosse tão deliciosa, quanto sou incapaz de o explicar, não a tomava como oração e sentia-me continuamente impelida a entregar-me a ela. Prometia ao Senhor que, logo que ele ma ensinasse, haveria de dar-lhe todo o tempo que pudesse. Mas sua divina bondade tinha-me tão enlevada na ocupação, agora descrita, que me fez perder o gosto pelas orações vocais, e já não era capaz de as rezar diante do Santíssimo Sacramento, onde me sentia tão absorta que nunca me aborrecia.




Nenhum comentário:

Postar um comentário